Gamer Nostálgico – Grandia, um grande clássico dos JRPGs

Grandia

ATENÇÃO: Esta postagem está desatualizada! O post completo e atualizado pode ser encontrado no nosso site principal. Clique aqui para ir até o post atualizado!

 

Como eu havia publicado anteriormente, dia 24 foi lançado no Steam, Grandia II Anniversary Edition em homenagem aos 15 anos do lançamento deste jogo no Dreamcast. E nada melhor do que aproveitar este grande momento para falar desta série clássica pela qual eu tenho um grande apreço.

Grandia é uma série de JRPG com um grande foco no desenvolvimento do enredo (com uma exceção), dos personagens e também do gameplay. Em todos os jogos da série principal usa-se um sistema de batalha por turnos, mas ao contrário de outros jogos do gênero após selecionar uma ação a movimentação em combate passa a ser em tempo real, ou seja, os personagens correm pelo campo de batalha até o alvo selecionado para executar uma ação podendo inclusive se cansar de correr, caso seu status MOV seja muito baixo e o alvo esteja muito longe causando efetivamente a perda do turno.

Esse é o grande brilho da série. O sistema de batalha envolve uma série de variáveis que precisam ser levadas em consideração antes de selecionar uma ação. Uma das mecânicas é a possibilidade de cancelar ataques inimigos usando o comando Critical, mas apenas se o ícone do inimigo na barra de IP estiver entre o COM (Command, inserção de ações) e o ACT (realizar a ação). A barra de IP (Initiative Point, ponto de iniciativa) está presente nos quatro jogos principais da série e apresenta ícones para os personagens do seu grupo e para os inimigos. Os turnos são determinados por essa barra. Quando o ícone de um personagem chega ao COM, é a hora de escolher o que ele vai fazer neste turno. Depois de selecionar a ação o ícone do personagem move-se em direção ao ACT e quando alcançar este ponto realiza a ação. Após isso o ícone do personagem retorna ao início da barra de IP e move-se novamente em direção ao COM.

grandiabattle

Não vou entrar em grandes detalhes sobre outros aspectos do jogo, já que este post não é uma análise. Eu resolvi apenas explicar um pouco do sistema do jogo para mostrar um pouco do funcionamento do mesmo e seus pontos mais fortes.

Eu conheci a série Grandia há muito tempo atrás. Eu me lembro que eu estava andando pela cidade procurando uma loja que vendesse jogos de PS1 para comprar um jogo e testar um emulador no computador em casa. É, eu não tive um Playstation, apenas joguei via emuladores. Enfim, minha intenção era comprar o Chrono Cross (outro grande RPG do PS1), mas na loja que fui não tinha o jogo. O vendedor, não querendo perder um cliente em potencial, me mostrou o Grandia e, com uma boa conversa, me convenceu a levar o jogo. Devo agradecer sinceramente a essa pessoa, onde quer que esteja, pois este jogo rapidamente se tornou um dos meus favoritos e até hoje considero um dos dez melhores que já joguei.

Tendo apreciado tanto o primeiro jogo, eu logicamente tinha de jogar de qualquer maneira os outros jogos da série. Eu também joguei o Grandia II através de um emulador, desta vez o de Dreamcast. E, como era de se esperar, também gostei demais desse jogo. Muitos consideram o Grandia II como o melhor jogo da série, mas sinceramente eu devo dizer que o primeiro tem um lugar especial no meu coração de gamer e Grandia II não conseguiu tomar o seu espaço.

Grandia-II-battle

O terceiro jogo da série, Grandia Xtreme (é, o terceiro jogo não é o Grandia 3), foi um dos primeiros jogos que obtive quando ganhei o Playstation 2. Este jogo deixou de lado a questão do enredo e focou mais nas mecânicas de jogo tornando-se um Dungeon Crawler (explorador de calabouços), um tipo de jogo no qual o jogador pode revisitar áreas pelas quais já passou com o intuito de obter mais experiências e itens para avançar no jogo.

Uma das coisas que eu mais havia curtido nos dois primeiros foi justamente o enredo deles. O primeiro jogo começava com uma história bem simples e até um infantil, mas ela crescia bastante a medida que se avançava tomando proporções inimagináveis. E o segundo jogo trouxe um enredo mais sério e cheio de momentos de tensão que me deixaram muito empolgado em avançar pelo jogo só pra saber o que ia acontecer. Grandia Xtreme, no entanto, deixa tudo isso de lado e apresenta um enredo simplístico e previsível. Os personagens também não são muito interessantes. Não tenho do que reclamar no aspecto gameplay, no entanto. Tudo de bom que já havia sido implementado no primeiro em relação à jogabilidade só foi melhorado nesse. O game não me cativou por completo sendo que ainda não terminei completamente. Só fechei a primeira parte. Ainda falta o Eternal Corridor (última dungeon) pra terminar de vez.

grandiaxtremebattle

Por fim, temos Grandia 3. Este é o título mais bonito da série em termos de gráficos e efeitos visuais. No entanto, novamente o jogo pecou por ter um enredo fraco e personagens sem graça. Mas, de novo, ele melhorou ainda mais o gameplay adicionando mecânicas super legais como os combos aéreos. Eu fechei ele duas vezes. É muito divertido de se jogar, mas eu esperava mais do enredo.

Grandia_III

Ah, e vale a pena mencionar que o maior pecado da série que havia sido parcialmente corrigido em Grandia Xtreme voltou com força total neste jogo: a linearidade. Os jogos da série Grandia são EXTREMAMENTE lineares. Grandia Xtreme mudou um pouco isso ao permitir que o jogador selecione quais personagens ele quer usar, mas foi apenas isso. De resto, todos os jogos da série seguem linhas retas. Sem exploração, poucas sidequests (missões secundárias e opcionais) e até mesmo o grupo de personagens que o jogador vai usar é pré-determinado pelo progresso do enredo. Isso significa que se você não gostou de certo personagem, vai ter que engolir o fato que não terá outra escolha a não ser jogar com ele.

Em termos gerais, a série Grandia começou muito bem e decaiu ao longo do tempo. Estamos prestes a completar quase 10 anos  do lançamento de Grandia 3 e não há sinais de um Grandia 4. Isso me entristece um pouco, pois ainda tenho um grande carinho por esta série que me proporcionou muitas horas de diversão. Espero que a série volte no futuro e possa se estabelecer como uma das grandes séries de JRPG, pois este gênero está um pouco enfraquecido no ocidente e precisando de mais títulos bons para representá-lo.

Gostou do post? Deixe sua opinião abaixo e lembre-se de nos seguir nas redes sociais!

Anúncios

Deixe sua opinião!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s